©2019 by Classic Rock Brazil Store. Proudly created with Wix.com

Search
  • classicrockbrazilblog

Quarta de Disco: The Clash- Sandinista! (1980)



Começamos dizendo seguramente que, de toda a primeira onda de bandas punk, nenhuma foi mais aventureira do que The Clash. A cada lançamento, eles quebravam a fachada do que a mídia pensava como "punk", até chegar à odisséia do Sandinista! .


A banda basicamente acampou no estúdio na época, correndo com as idéias que surgiram. "Músicos estavam entrando no estúdio de toda parte de Nova York. Estávamos lá dia e noite. Eu não fui a um bar ou boate ou qualquer coisa na época. Eu costumava dormir debaixo do piano. Ninguém conseguia nos tirar do estúdio." , lembra Strummer. Eles acabaram com tanto material que as restrições de um único LP foram imediatamente descartadas pela banda.





O álbum anterior da banda, London Calling, tinha sido um álbum duplo, e eles decidiram ir um passo além, fazendo deste um set triplo de LPs. Convencer a gravadora seria outro assunto, especialmente porque a banda queria vender pelo preço de um single. "Eles disseram: " Se você quiser colocar Sandinista! no mercado assim , você tem que fazer isso sem royalties ", contou Strummer à Uncut em uma entrevista em 1999. " Então, nós dissemos: "Ok, é o que faremos.”


Desde a abertura de "The Magnificent Seven", está claro que o Clash estava ali para uma nova aventura. Paul Simonon lança um funk bass inspirado, enquanto Strummer emprega uma entrega vocal nascida dos novos sons do rap que estavam flutuando em Nova York na época.


Nos seis lados do LP, a banda explorou aparentemente todos os cantos em que puderam pensar. Do pop inspirado na Motown de "Hitsville U.K." ao "The Sound of Sinners", o dub, reggae, funk cru e rock and roll, todos encontraram um lar na coleção "vale tudo" de Sandinista!. A banda ainda abriu espaço para um som de Clash mais tradicional em clássicos como "Someebody Got Murdered". Eles saltam de estilo para estilo dentro dos três álbuns, algo que parecia levar fãs e críticos de um lado ou de outro.





O argumento típico é que teria feito mais sentido se fosse um single, ou mesmo outro duplo. Outros, no entanto, viram o que o Clash estava explorando o grande mundo da música e da política na época.


Talvez perdido dentro de tanto material, é o fato de que existem algumas músicas verdadeiramente grandes lá, e sim, se tivesse sido um único LP, teria sido visto de uma forma muito diferente. Além das músicas citadas acima, "The Call Up", "Rebel Waltz", "The Leader", "Washington Bullets" e "The Street Parade" estão no melhor trabalho da banda.


É clichê dizer, que há um ótimo álbum dentro desses três discos, e essas músicas fazem Sandinista! valer a pena.



Bjos e Abraços!



Por Leo Martins e Rapha Falconi

10 views
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now